23 de junho de 2009

Alguém que eu sei quem.

Dúvidas me atormentam como tempestades inesperadas.
Me sinto como um faminto que tem o banquete a sua frente... e eu não posso mais!
Não posso mais me permitir aguardar
Porque o barulho do ponteiro no relógio me atormenta
Porque o tempo parece urgir
O céu cair e subir diante dos meus olhos
Suprir minhas dúvidas não me deixaria segura
Talvez me arriscar me assegurasse de que não perdi a chance.
De que o sol se abriu na tempestade
De que eu corri até ele como nunca corri para os braços de alguém.

3 comentários:

  1. Seeeeeeempre!

    Felicidade bate a porta e ainda ri de mim.
    Deixa eu contar pra ti!

    ResponderExcluir
  2. Voce não perdeu a chance, esteja segura.

    ResponderExcluir